Caro visitante,

 

Ao longo dos meus anos de experiência muitas vezes me fizeram esta pergunta: Para que é que serve a contabilidade financeira? Acho que é agora uma boa altura de responder à pergunta. Tenho amigos que têm o seu negócio e ainda me vêm tirar dúvidas em relação a contabilidade financeira. Pois bem, acho que é altura de desfazer todas as dúvidas. São dúvidas normais e que são facilmente esclarecidas.

 

Basicamente, o primeiro ponto que devemos ter em conta é que a contabilidade financeira procura estabilizar uma empresa, ajudando a gerir melhor o seu negócio. Isto é o primeiro ponto. Para quem tem o seu próprio negócio, quantas vezes questiona com os seus colaboradores as seguintes perguntas: “Quanto é que vendemos no mês anterior?” “Quantas pessoas usaram o nosso serviço/produto?” “Qual é a quantidade que temos de produzir para satisfazer as necessidades dos clientes?” São perguntas frequentes que têm que estar na ponta da língua. E a contabilidade financeira responde a estas questões. Contar, no seu negócio, com um bom serviço de contabilidade, vai fazer com tenha organizado a totalidade dos registos numéricos. Acho que não é preciso ser um guru do marketing e gestão para perceber que isto é fundamental para o sucesso de uma empresa. Uma ferramenta de gestão indispensável em qualquer negócio. Pequeno, médio, grande, não importa, caro leitor. Se ainda não tem um departamento de contabilidade financeira na sua empresa ao seu dispor, então gaste as próximas horas à procura.

 

Saber os pagamentos da sua empresa ao exterior, incluindo compras e vendas e operações bancárias é o que a contabilidade financeira acarreta. É uma vertente da contabilidade importante no âmbito fiscal e comercial, para assim, ser possível realizar todos os anos o balanço do seu negócio. Costuma-se dizer que a contabilidade financeira é a linguagem dos negócios. Daí o seu papel importante que tem para uma empresa. Posso confessar-vos que, para além dos meus sócios, um contabilista foi das primeiras pessoas que tive que ter nos meus quadros. Um sócio meu questionou esta minha opção. Achava que havia outras prioridades para além dessa, para não gastarmos já parte do investimento num contabilista. Ainda discutimos umas quantas vezes e expliquei-lhe isto que vos expliquei agora. Depois de uns dias lá se apercebeu que estava enganado e ainda hoje, na sua nova empresa, o contabilista foi das primeiras pessoas a ser contratado.

 

Espero que tenha ficado esclarecido. Qualquer dúvida que tenha, pode contar comigo.
Manuel